O flúor faz mal à saúde?

Analisando os inúmeros casos de câncer, alzheimer e outros males cada vez mais comuns, comecei a ter mais curiosidade em pesquisar sobre os alimentos e os produtos que utilizamos no dia a dia, em busca de uma melhor qualidade de vida e também da prevenção destas doenças.

Os números são assustadores. Já perdi vários amigos e parentes para o câncer e cada vez mais tenho certeza de que esta doença terrível tem correlação com aquilo que ingerimos ou utilizamos direta ou indiretamente no nosso organismo. É claro que o fator genético é importante, mas eu acredito que alguns males podem ser evitados se nos prevenirmos através da ingestão de alimentos orgânicos e o uso de produtos com menor concentração de componentes tóxicos.

Um exemplo disso é o flúor – que, apesar de ser considerado um medicamento, também pode ser nocivo para a saúde se ingerido em grande quantidade. Não estou falando do flúor presente nos alimentos, mas sim da quantidade que existe principalmente na água que bebemos e utilizamos no nosso dia a dia, por exemplo.

Este é um assunto bem polêmico e mesmo em uma pesquisa rápida se pode observar inúmeras opiniões diferentes sobre o tema, mas o que me chamou a atenção é o fato de que vários profissionais renomados (como o Dr. Arvid Carlsson, premiado com o Nobel de medicina em 2000, entre outros) alertam sobre os perigos do efeito cumulativo da ingestão de fluoreto – tanto que em alguns países como a Alemanha, Suécia, França e a Finlândia não é permitida a fluoretação da água.

Antes de qualquer coisa quero esclarecer que não sou profissional da área da saúde e que minha intenção é apenas buscar uma vida mais saudável, ok?

Pelo sim, pelo não, aqueles que querem experimentar uma diminuição do uso do flúor em seu dia a dia, podem começar utilizando um creme dental que não tenha este componente. Eu utilizei por muito tempo este aqui, que é a base de leite de magnésia, mas infelizmente neste ano sua fabricação foi descontinuada.

creme dental sem flúor

 

Quanto à água, você pode comprar alguns filtros que prometem retirar o flúor e o cloro, mas também existem maneiras naturais de se filtrar a água, como a desinfecção solar, por exemplo (veja AQUI).

Para saber mais sobre o assunto, vale a pena a leitura deste ARTIGO sobre o fluoreto. Também separei duas entrevistas com profissionais da saúde falando sobre o uso do flúor.

Se você não conseguir encontrar creme dental sem flúor, uma alternativa bem bacana que eu aprendi no canal do blog Trash is for Tossers, da americana Lauren Singer, é preparar seu próprio creme dental em casa. Não tem segredo!

Você vai precisar de 2 colheres de óleo de coco, 1 colher de bicarbonato de sódio e 15 a 20 gotas de óleo essencial da sua preferência (pode ser menta, anis, canela, etc.).  Basta misturar tudo e acondicionar numa embalagem com tampa. Quando for utilizar, pegue um pouquinho do produto com uma colher e coloque na escova dental.

Não faz espuma, mas limpa muito bem os dentes!

Apesar de ser um assunto bem polêmico, acho que vale a pena acompanhar sempre as pesquisas e procurar buscar alternativas saudáveis para consumo, não é mesmo? A sua saúde agradece!

 

10 comentários sobre “O flúor faz mal à saúde?

    • Oi Marli! Pois é, logo depois que publiquei este texto, também comecei a não encontrar mais aqui em Curitiba. Liguei na empresa e eles me informaram que o produto foi descontinuado. Não deram mais explicações. Que pena, né? Nossa única opção são os cremes infantis ou feito em casa mesmo.

Deixe um comentário

:alien: :angel: :angry: :blink: :blush: :cheerful: :cool: :cwy: :devil: :dizzy: :ermm: :face: :getlost: :biggrin: :happy: :heart: :kissing: :lol: :ninja: :pinch: :pouty: :sad: :shocked: :sick: :sideways: :silly: :sleeping: :smile: :tongue: :unsure: :w00t: :wassat: :whistle: :wink: :wub:

Simple Share Buttons